Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

sábado, 27 de março de 2010

Taverna

No fundo de mares. Eis a taverna. A taverna.
Por lá e ai eu encontro bêbados
Eu encontro boêmios em pares.
Eu encontro homens fora da lei.
Na taverna eu me encontro,
Eu vejo as mulheres
Que lindas raparigas !
Por todos os bares.
Lindas questionadoras:
-"Chi è?!"

Eu digo que sou o capitão do barco
para os franceses, Saint-eau
la goutte d’eau !
Eu digo que sou. O som do barco
Ich bin der Schiff heilig !
Der Finale.
Der Finale.

Nenhum comentário:

Postar um comentário