Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

domingo, 14 de março de 2010

Passante

Ocupando minhas lacunas
Com frases sem nenhum valor
Recriando meu espaço
Com meus versos sem pudor

Construindo seus limites
Com os tijolos que desenho
Para cada um dos meus trabalhos
Nem Deus mede meu empenho

Dos esforços passageiros
Só recordo o meu desgaste
Dos meu jovens companheiros
Mal me recordo das faces
Dos amores veraneios
Espero que o retrato baste

Nenhum comentário:

Postar um comentário