Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

terça-feira, 16 de março de 2010

Absconditum Mentis

Um juramento de ma fé
A palavra de um qualquer
A promessa feita em vão
Um mero ator em qualquer palco
Teatral e sempre falso
Pura manipulação

Enclausurado em minha mente
E não mais que derrepente
A conhecida escuridão
Do vazio o medo antigo
E o próximo perigo
A má e nova solidão

Escorregando em cada vão
Sofro da manipulação
Que eu mesmo comecei
Me perco em escuridão
A qual chamo solidão
E assim me acabei

Nenhum comentário:

Postar um comentário