Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Charme

Desenlace: Outro qualquer
Tal qual sou pra ti. Parte dessa situação interessante em que me encontro.
Veja bem, é só jogo, não? Eu te falo um tanto e escuto um tanto mais, enquanto a gente imagina as coisas que pode fazer com o outro. É como a sorte, eu dependo de você pra objetivos que você detesta objetificar.

E vamos assim, sendo bons em tantas coisas, muito melhores nas que somos péssimos. Vou rir da sua cantada, você vai rir da minha, no final das contas estamos aqui, na mesma plataforma, compartilhando coisas impessoais, frases impessoais, momentos impessoais. Pessoalmente eu acho bom, prefiro que você mantenha seu controle.

Os astros disseram que: eles não dizem nada essa noite. O sol e a lua transcreveram um caminho para a minha casa, talvez assim eu seja mais que leviano. O zodíaco vai continuar me favorecendo, porque eu domino o que sou e isso é encanto, minha cara. Sedução é pros tolos, eu gosto é de feitiçaria. Pouse os olhos em mim e nunca mais irá movê-los.

Avisei

Dito isso, continuo aqui. Será que tenho sua atenção? Veja a qualidade nas entrelinhas dessa prosa, enquanto isso tudo é sussurrado calmamento na tua alma e quando você cair em si, já estará caindo aqui, de joelhos para mim. Ou não, é melhor que mantenha o controle, não vá me dar trabalho.

Rola os dados outra vez, joga a sorte, tente me ter, só porque o divertido é o domínio.

Permaneço.

Lanço o verso certo na hora exata, esse é o charme que você procura em todos eles, mas aos poucos notará que só existe em mim. Enquanto isso armo a ilusão final para o show:

A entrega.


quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Ao Acaso

As vezes eu sinto sua falta, devo admitir
As vezes na cama procuro teus braços, pra me cobrir
As vezes encontro vestígios desse carinho que havia
E da necessidade de ti que em mim persistia

As vezes eu desejo sua volta, não posso negar
As vezes sufoco meu grito e até penso em te ligar
Você foi embora e deixou um espaço que já era seu
Foi embora, não volta, eu entendo: já deu

Mas eu ainda vejo teus olhos, eu ainda lembro teu nome
Eu ainda sinto saudade da dificuldade em nós dois
Eu ainda espero que um dia meu destino te enlace outra vez
Eu sei que meus passos são duros, logo meu rosto some
E a gente não passa de sombra, algo que o tempo propôs
O que o acaso criou, o próprio acaso desfez

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Assim

Eu sei que eu sou assim

Mas não quero mais
Não quero mais o amargo sem o doce ou só o doce toda hora
Não quero mais o claro e escuro que é o jogo da razão
Não quero mais a tempestade

Eu destruo as coisas muito mais do que venho construindo

Eu sei que sou assim, mas será que é só o que resta de mim?