Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

domingo, 28 de março de 2010

Doce Amargura

Minhas escolhas só eu tomo
Só eu sei o meu melhor
Se o que fazes pesa os ombros
Sei de ti tudo de cor

Do meu amargo só eu sei
Só eu trilho meus caminhos
E desse, árduo, que trilhei
Só eu conheço os prejuízos

Não tente me beneficiar
Haja enfim só por você
Não ache que iras melhorar
Não tente resolver
Que minha Doce Amargura
É você, crua e pura

Nenhum comentário:

Postar um comentário