Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

sábado, 13 de março de 2010

Goles e Olhares

Cem goles e olhares
Já nem ligo mais para ti
Garrafas, me acompanham milhares
Já não te sinto mais aqui

E no entanto sobra tanto
Espaço que você deixou
Lembranças, querida, nem sabes o quanto
O quanto ficou e o que acabou

Eu juro que a cada dose
Me tornarei mais seu
Mesmo que o acaso nos sobre
E que os copos definam meu eu

O vinho hoje se tornou amargo
Você passou em minha frente
Meu vazio está virando fardo
Mesmo vazio, o peso se sente

Sem goles e olhares
E eu aqui preso ao vinho
Não há você para bens ou males
Não consigo mais trilhar um caminho

Eu juro que a cada dose
Me tornarei mais seu
Mesmo que o acaso nos sobre
E que os copos definam meu eu

Eu juro que mesmo que a cada taça
Eu me torne uma intragável dose
Espero pela hora em que ela passa
Passados pedem seu brinde, mais uma dose

Nenhum comentário:

Postar um comentário