Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

terça-feira, 9 de março de 2010

Saudades

A saudade é abismo
Os seres se atiram nesse abismo achando que essa é a lei da vida
Acostumaram-se com a idéia de que toda dor se cura com remédios
E fazem do abismo uma ferida

A saudade é abismo
Os seres se atiram nesse abismo achando que esse é o amor
Acostumaram-se com a idéia de que todo amor é sofrido
E fazem do abismo motivo de louvor

A minha saudade é uma ponte
Eu a atravesso para que assim veja você e só assim
Me encontro, e não me acostumo e nem me conformo
Não espero de nós nada além de um sim

A minha saudade é uma casa
Eu a habito e a deixo assim
Cheia de ti, de nós e de mim
Pois sei que abismo nenhum significa um fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário