Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

sábado, 25 de abril de 2015

Teus Olhos

Essa beleza dos teus olhos, que se entristece todo dia

todos os dias que não estão aqui

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Até Mais

Não te procuro, contanto que não me encontre
Você sabe que eu vou estar muito a frente disso aqui
O grau de importância das coisas é baixo
As decepções que vivi foram altas demais
Haviam mil caminhos diferentes desse de hoje
Mil modos de ser feliz, mas você só quer o pior
Mil meios pra acertas as distâncias que existem
Mas eu não me movo por quem fica pra trás

Não existe mais nada, além dessa folha
Não existe mais nada, além desse som
Não existe mais nada, além dessa escolha
Sei que o seu jeito está longe de bom

Mas pra mim tanto faz, você faz o que quer
Cansei de esperar o melhor de você
Já vi que gastei muitas horas com nada
Tudo que tinha vocês pôs a perder
Não desejo nem a sua felicidade
Eu quis fazer muito mais do que desejar
Só espero que acerte esses erros de agora
E que algum dia pare de chorar

Não é o tanto que sofres que define o amor
Não é o tanto que tentas que define a conquista
Eu já perdi o respeito e agora o pudor
Então que assim seja, até a próxima vista

sábado, 18 de abril de 2015

Reticências

Preciso falar sobre o que o acaso fez
A discrepância que acabou com o que nós construímos
Se nosso destino não foi muito cortês
É melhor manter o amor, pois do resto desistimos

É muito rara essa vontade que a nós veio em excesso
A gente sabe que foi muito mais do que devia
E agora que lembro tudo deitado nessa cama fria
Guardo a escrita na gaveta e me privo desse resto

A ruína era certeza, já haviam previsões
A gente luta sem firmeza criando mil decepções
Apagando da memória que haveriam consequências
E seguimos a proeza só pra ver onde ia dar
No fundo o único caminho era só se machucar
Deixando mais uma vez esse passado em reticências

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Fim

Perdi mais uma vez as frases certas
E o gosto de qualquer lembrança sua
Apago a companhia de sua silhueta nua
Da minha cama em qualquer das noites eternas

Haverão mil outros nomes que virão pelo acaso
Eu e você não sofreremos o pesar da solidão
Há mais valor no que está morto do que no que padece em vão
E a nós não resta mais o benefício desse caso

Mas é assim que as coisas são planejadas no destino
Começam apenas pra acabar, se o esforço é passageiro
O nosso tempo se atrasou e foi bem melhor assim
Pensando pelo que vivemos o final foi corriqueiro
Continuar essa batalha seria apenas desatino
Quem sabe o que não te mostrei você enxerga nesse fim