Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

domingo, 31 de janeiro de 2010

Eis que.

Surgiu a noite de um novo dia
Surgiu o desespero na falsa alegria
Surgiu o medo na tranqüilidade
E aquela frieza que se confunde com maldade

Nasceu a nova dúvida que antes já atormentava
Pois antes a resposta era clara e já machucava

E se a mentira era eu e você fingindo sermos nós
O que fazer agora que nem isso nós fingimos?
E se pra tentar falar contigo sempre me faltava a voz
Como posso querer concertar o que nem construímos?

É...acho que acabou o que eu nem sei se começou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário