Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Insônia Existencialista

Eu aqui, escrevendo minhas divagações pré-sono...
Enfim, eu estava feliz e tranquilo em minha cama, lendo Entrevista Com O Vampiro (Ótimo livro, recomendo), pra ser mais especifico acabando o livro...aí paro pra pensar no destino que a escritora deixa implicito pra um dos personagens do livro.
Cara, ser imortal deve ser absurdamente frustrante e pior do que isso tedioso ¬¬
Imagina, ver tudo acontecer no mesmo ciclo vicioso centenas de vezes...tudo se repetindo em sua essencia.
Mas eis que me bate a angústia da madrugada: Imortalidade é chata, as vezes até se vive por rotina (se é que isso é possível), mas a vida mortal é tão vã!
Pensar que tudo que você demorou anos pra alcançar, tudo o que você construiu e todo seu esforço fica pra tras em questão de segundos dói um pouquinho, pelo menos em mim.
E eu, chato que sou com minha doença de interligar as coisas que já estão interligadas de uma forma sutil e de certa forma imperceptivel ao senso comum humano (ridiculo limitado que só usa dez por cento de sua cabeça animal), acabo sentindo de tabela que eu sou um ser efêmero, vazio, vago, passageiro e que no fundo não passo de fumaça que está só demorando um pouquinho a mais, ou não, pra subir pra algum lugar que talvez me pertença...
Enfim, pensar que eu também vou acabar me dói, mas me conforta também, pois eu sei que invariavelmente eu faço parte desse mesmo ciclo vicioso e que vou acabar voltando pra essa mesma cadeira e escrever essa mesma divagação imbecil em algum outro paralelo, nem que seja só minha imaginação ou talvez o sonho que eu, se os deuses me permitirem, terei daqui a algum tempinho :D

Nenhum comentário:

Postar um comentário