Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

sábado, 29 de maio de 2010

Mau Soneto

Já não meço meus tropeços
E não conto os teus também
O eu dos vários recomeços
Não sabe o poder que tem

Abusei das despedidas
Mesmo as que são fingidas
O eu que sempre está parado
Vê por onde os outros tem andado

Já cansei de trocar versos
De recompor meus universos
Nos meus contos não contei
Me afoguei em tanto inverso
Preso, espelho, no reverso
Com as palavras me casei

Um comentário:

  1. o "mau" soneto é, além de mais sincero, mais poético do que o "bom" soneto.

    ResponderExcluir