Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Jogos e Máscaras

"Dê uma máscara ao homem e ele dirá a verdade."
Oscar Wilde

Ele tirou as máscaras. Havia se cansado do peso que carregava acima do pescoço e do que repousava em seus ombros. Agora era partir para o novo e quem sabe parar de interferir tanto na vida dos outros. Nunca... Quem sabe pudesse começar uma nova relação sem haver o peso das mentiras? Pouco provável. As pessoas não lhe encantavam o suficiente, ele só extraía o que lhe interessava para jogar fora depois. Era tudo um jogo.

Depois de muito tempo os jogos cansam! Ninguém gosta de ganhar sempre, e ele se colocou em uma posição onde não havia chance de derrota. Ele vencia todos os adversários, mas sempre perdia a batalha que realmente importava, a batalha contra ele mesmo. Ele sempre perdia, no final das contas. Mas a paixão, ou talvez obsessão, só aumentava. Ele se importava com pouca gente, esses poucos conheciam o seu eu autentico, ou quem sabe uma parte desse eu.

Mas agora ele mudaria, não haveria espaço para as mentiras em seu cotidiano. Não haveria falsas promessas, nem jogos por diversão e manipulações em geral. Não iria mais mentir...
Pobre diabo.
Depois de tantos anos de uma mentira só, já quer começar a contar outra?

Nenhum comentário:

Postar um comentário