Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Homens tão Sozinhos

De tantos desenlaces
De todos os impasses
Tudo tão comum
De tantos desencontros
Tantos outros pontos
Só resta um

Eu meço meus caminhos
Que levam a você
Penso no por que
De homens tão sozinhos
Traçados sem destinos
No que eu quero ser

Eu guardo seus recados
De dias já passados
De meses incomuns
E todos os pecados
Ou casos mal contados
Só me lembro alguns

Eu meço meus caminhos
Que levam a você
Penso no por que
De homens tão sozinhos
Traçados sem destinos
No que eu quero ser

Eu erro por caminhos
Que fogem de você
Nem sei mais porque
Um homem tão sozinho
Que anda sem destino
O que eu não quero ser

Nenhum comentário:

Postar um comentário