Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O Próximo Instante

O futuro bateu em minha porta
Me chamou pra um cigarro e uma cerveja
Cantamos juntos algumas palavras tortas
Mostrou que vai estar comigo, onde quer que eu esteja

O futuro hoje sentou a minha mesa
Compartilhou comigo vinho e canção
Algumas letras de morta beleza
Contou sobre o meu acabado coração

O futuro veio e se apaixonou pelo passado
Tiveram um filho chamado presente
Passeamos pelos sonhos despedaçados
Senti coisas que só um fraco sente

O futuro então morreu no segundo ato
Guardei seu corpo no alto da estante
O passado e seu filho guardei em retrato
Esperei o nascimento do próximo instante

Nenhum comentário:

Postar um comentário