Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Esquinas

Um gole.

Cigarros, isqueiro,

Copos sujos e vinho barato


Um gole.

Gritos egoístas querendo engolir o mundo

A fim de preencher o ego


Um gole.

Olhos que vêem

O nada, o erro


Um gole.

Mãos trêmulas

Em busca de um novo vício

Uma ocupação para a cabeça vazia


Um gole.

Afogado em pensamentos ilícitos

Um surto de realidade

Entardecer de ilusões


Um gole.

Rodeado por hipocrisia

Por um mundo que cala e grita

Ensurdece e vira música

Fere e acaricia


Um gole.

Perguntas sem respostas

Respostas sem pensamentos sensatos

Perguntas que agridem

Que abrem os olhos

E ninguém quer abri-los


Ultimo gole.

E o mundo termina num copo vazio


Nenhum comentário:

Postar um comentário