Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

sexta-feira, 14 de abril de 2017

XV

Memórias de anteontem, dias que ainda virão
E a feitiçaria reside no amor dos versos de agora
Eu jamais poderia deixar que esse momento fosse embora
E que você se deitasse esta noite sem mais esta declaração

Eu queria mostrar pra você as coisas que são abstratas
O arrepio que dá na minha pele quando penso em sua reação
Ao ler outra coisa qualquer que venha do meu coração
Mesmo que diga tão pouco em toda poesia barata

É que as coisas não fazem sentido, porque fazem sentido demais
Quando tudo dá certo no início é porque deve ser ilusão
Só que não importa o bom senso, apenas a noite em solidão
Desejando você ao meu lado, vendo em meu rosto os sinais

Dorme, mas sonha comigo
E que se torne então realidade
Pois o que eu quero, na verdade
É dormir aí contigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário