Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

domingo, 9 de abril de 2017

Brumas

Que se desfaça a bruma e o futuro venha enfim
Pois é chegada a hora de enterrar qualquer passado
A vida segue por caminhos que a gente desconhece
E o medo é natural nesses momentos de mudança
É difícil, eu sei que é, mas tudo se acerta
E a decisão incerta se torna absoluta
E é com a mente resoluta que a gente vai seguindo
Hora ou outra a gente causa mal a outro alguém
É isso, meu amigo, é necessário se agarrar
Às chances de felicidade que a vida apresenta
A gente tem razões que até a gente desconhece
E o instinto prega peças que podem fazer bem
Se vou sofrer eventualmente, bem, aceito a condição
Me assusto com a forma como as coisas acontecem
Me assusto com a forma que as coisas me aquecem
Mas dessa vez não vou fazer desta poesia rendição

Nenhum comentário:

Postar um comentário