Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Se Já Não Sentes Nada

Que fim teve aquele amor, tão cedo
Há tão pouco feito e já apagado
Resta agora o peito machucado
Ou já não resta nada, além do medo

E das vontades em que se afundava
Será que sobra enfim algum desejo?
Procuro em tanto sonho e não vejo
Nenhuma essência em que se baseava

Não há algum rastro ou alguma pista
Não ha nenhum traço de esperança
Talvez na chuva tenha se dissolvido

Não há nenhum porto ou terra a vista
Se estás aqui meu olhar não alcança
Nenhum vestígio de coração partido

Nenhum comentário:

Postar um comentário