Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Mais Um Epitáfio

Diga-me, onde foi que eu me perdi?
Em que olhos eu deixei o meu sorriso
E que sorriso ainda guarda meus olhos?
Diga-me quando foi que esqueci de quem preciso...

Onde eu deixei minha razão, minha ilusão?
Troquei tudo isso por meio coração
Que já veio partido, suprimido em solidão
Onde eu deixei o que fazia sentido... ou não

Diga-me, quando foi que eu perdi pra mim
Pra só hoje entender que nem ao menos fui meu inimigo
Pra entender que só comigo podia estar inteiro...
Pra buscar em outros um eu verdadeiro?

Diga-me quando foi que deixei de ser essência
Pra andar por aí recriando uma existência
Que eu nunca construí pra mim
Porque eu nunca quis que tudo fosse assim

Um comentário:

  1. Agora,é só lembrar,da essência
    e construir algo,verdadeiro.
    Sorte.
    E um abraço,quando teu passo cançar
    Meu sempre amigo,mesmo que longe.

    ResponderExcluir