Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

terça-feira, 13 de julho de 2010

Soneto do Apelo

Vem fácil.
Muito fácil.


Engraçado como começou
O pouco que vivemos
Como nos escondemos
E agora pouco sobrou

Cada sonho foi verdade
Imaginei cada momento
E não escondi meu lamento
Quando você disse ser tarde

E agora veja onde estou
Será que algo aí restou?
Daquilo que você nunca me disse
Daquilo que nunca me dirá
Do que eu queria que sentisse
Que, quem sabe, me salvará

Nenhum comentário:

Postar um comentário