Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Poesia Rima Com Nostalgia Pt.5

Parecia melhorar
Parecia enfim dar certo
Cada um em seu lugar
E ao mesmo tempo perto


Sobre maio, me calo
Sobretudo não falo
Um eu, quis achá-lo
Escorri pelo ralo


Mas não era mais o mesmo
Nem homem, nem mago
Sem razão de ser
Sem gole e nem trago

Ouvi dizer, em velhos tempos
Sobre seguir em frente
Que era enfim esquecer
E poder ser diferente

Mas alguma coisa falta
Sobra espaço a preencher
E esse espaço me sufoca
Não consigo entender

E mesmo assim nada me sobra
Nem mesmo algum valor
A morte, e nem a sorte
De algum dia virar vapor

E em tanto vazio
Eu me perco de novo
Devia ter mapeado o risco
De esquecer o que é novo

O eterno não dura dias
O supérfluo dura anos
Palavras com tempo, tão vazias
E ainda assim mudam meus planos

Dói em mim lembrar de outros dias
Mas lavo minhas mãos daqui pra frente
Minha alma, cada vez mais fraca
E acho que não será mais diferente

E sobre qualquer fim
Eu me recuso a aceitar
Qualquer palavra assim
Quero ser, não estar

Mas saberei me portar
Lutar até a morte
Lembrando que o pior azar
É algum dia precisar de sorte

Todo dia amanhece!
Mas o velho amanhecer
Já não amanhecer mais
E eu não posso lhe esquecer

Mesmo que dependas de sorte
Pra chegar a algum lugar
Nunca se importe,
Algum dia irás chegar

Mas só deixaram dores
Nas flores pisaram
Cores não há
Os amores levaram

Apagaram as luzes
O resto eu apaguei
Tudo desfiz
Tudo o que eu achei

Nem pontes sobraram
Até o acerto se desfez
Só resta o passado
Que em sonho se repete outra vez

Mas meço meus caminhos
Que fogem de você
Por quê? Nem sei
Penso em o que quero ser

Já cansei da parte boa
E de vários de meus versos
De vários sonetos
E recriar meus universos

Me cansei da parte má
Me afoguei no inverso
Nos contos não contei
Estou preso no reverso

Acordei hoje
Ontem eu sonhei
Não me contem
Amanhã serei

E por fim a minha parte
De palavras mui fingidas
Sempre fico aqui parado
E me cansei de despedidas

Não parece melhorar
Não acho que dê certo
Longe de meu lugar
E você aqui tão perto

Em maio, me calo
De tudo que sei, falo
Sentido, quis achá-lo
Mas fui pelo ralo

Nenhum comentário:

Postar um comentário