Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

terça-feira, 22 de junho de 2010

O Caco da Inspiração (Velho Amanhecer)

O Caco da Inspiração

Só quem está no centro do furacão pode ficar salvo
E de que adianta a opinião de meros observadores?
De que adianta a pena de iguais sofredores?

Só quem sente sabe
E até que isso acabe
Só a mim cabe
Qualquer atitude

Não escuto suas vozes
Nem entro em discussões ferozes

Nesse tempo de solidão
Sobra inspiração...
Sobra inspiração...


Depreciação.
Depressão.
Condição
De inspiração.


Não.


Hoje o dia está estranho
Faltam folhas em branco
Faltam versos no canto
Sobram palavras no pranto

Me abri em tantos versos


No verso da carta um nome.
Sinta em minha letra a fome
Veja meus olhos de insone
Minha voz no telefone

Minha poesia foi sua, sua e só


A frase nua em minha palma
Mania sua me tirar a calma
De lua em lua perco a fala
Vou a rua e perco a alma...

Sobrava inspiração pra ti
E o seu espaço guardado aqui
Só eu sei o que senti
E enfim cansei, parti

Foi seu, fui seu
Minha poesia sentida
Minha voz incontida
Minha alma partida
Minha vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário