Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Devir

Refletindo a correnteza, são teus olhos em minha mente
É não ter sido diferente e ainda assim estar aqui
Ser a minha voz que ecoa e silencia tanta gente
E no alto de mim mesmo eu já nem sei pra onde ir

Tudo isso é meu devir, meu espírito se solta
600 voltas nesse sol que já não aquece nada
E o fim é a alvorada, é tudo aquilo que não volta
É só mais uma canção que não quer dizer mais nada

Escorre em minha pele tanta coisa que não sei
E é só mais uma questão, só parte desta coleção
Do que é que se esconde em meio a nossa visão
E de tudo o que eu diria, quanto eu disse ou me lembrei?

É mais um passo ao abismo, e tudo é só imensidão
Toda aquela solidão que se sente acompanhado
E ao fechar os olhos alcançar conexão
Com tanto desse mundo que nunca foi achado

Escorre em minha pele tanta coisa que não sei
E é só mais uma questão, só parte desta coleção
Do que é que se esconde em meio a nossa visão
E de tudo o que eu faria, quanto eu fiz? Eu me lembrei
De nunca levantar a voz
De nunca me abalar a sós
De nunca mais depender de nós
Que tudo que existe é muito mais do que a existência
De sempre me lembrar do eu
E nunca me esquecer quanto doeu
E quando eu me perder no caminho que é seu
Aperto ao peito a consciência


Nenhum comentário:

Postar um comentário