Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

quinta-feira, 11 de maio de 2017

10 de Maio

Eu me enquadro bem em vícios, tem sido sempre assim
Vou perdendo a silhueta e já nem me reconheço
Já não paro mais em casa porque vejo minha bagunça
Me falta força todo dia pra aceitar o recomeço


É remorso ou é receio, ou talvez nem tenha nome
Talvez seja só preguiça de fazer o que é correto
Talvez seja o dia a dia que me agride e me consome
Esqueci como ser gente, vou virando um objeto


Desejando o fim de tudo, isso me é tão corriqueiro
Esperar que um acidente seja o meu ponto final
Eu poderia negar, mas pra mim é tão normal
Afirmo com tranquilidade que o vazio é meu inteiro


Vou dormindo e acordando, já não sei se isto é viver
Sobrevivo questionando se isso é química ou tristeza
Desfazendo meus anseios, me restou uma certeza
Seria maravilhoso apenas desaparecer

Nenhum comentário:

Postar um comentário