Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Insolitude

Plena In Solidão
Solitude é nó
Insólito só
A plenitude e o não

Sois sóis lá onde não há
Qualquer outra razão
Qualquer outro a lutar
Por pura interpretação

O mundo é seu campo de batalha
Onde se luta sem poder errar
É você dentro da falha
Que é o próprio verbo pensar

Sois insolúveis verdades
Sois insensatez e só
Só...
Vestígios de estrada e pó

Tantas certezas incertas
Plenitude nas vontades
Tantas duvidas encobertas
Solitudes, só vaidades

Sois saudades
De tempos não passados
De dias não chegados
De outras e outras grades

Plena In Solidão
Solitude é nó
Insólito só
A plenitude e o não

Sois sóis e apenas
Razões que o tempo mude
Sois vozes e cenas
Sois plena Insolitude

----

Aguarde-nos

Nenhum comentário:

Postar um comentário