Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

domingo, 10 de outubro de 2010

Fumaça

Há no homem um segredo
Anunciado em sua fronte
Desejo seco, quase medo
Sua fonte.

Há no homem um valor
Que não é de fato nada
O ódio a sua dor
Tão amada.

Há no homem outro alguém
Que nem sei se existe
Que atua também:
Só assiste.

Há no homem o que não há
E o que há já foi
Vivemos pra nos libertar
Depois.

Nenhum comentário:

Postar um comentário