Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Sintomas

Eu criei isso pra mim
Essa solidão, essa amargura
Quis assim, do início ao fim
Agora eu alimento a criatura

Me protegi com essa mentira
Que me empurrou pra esse abismo
A queda é a justificativa
Que encontrei pro meu sofismo

Essa doença que me toma
Dia após dia, não tem cura
Essa tristeza é só sintoma
Faz de mim essa gravura
Depois que eu acordar do coma
Talvez retome a compostura

Nenhum comentário:

Postar um comentário