Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Lábios

Ele não tinha algo para chamar de lar
Ele não tinha um horizonte definido a visitar
Ele estava cansado.

Passava superficialmente em cada lugar
Nunca tivera raízes e as queria
Nunca fora notado, mas como se achava bonito.

Ele cantava.
Um grito silenciosamente alto
Queria um amor.
Mas ele estava cansado.

Viajava por todas as luas.
Preenchia linhas imaginárias.
Estava em todo lugar e ao mesmo tempo não estava.

Sussurrou...
Sussurrou...
Sussurrou...

Ele se apaixonou.
Encontrou um rosto para acariciar.
Lábios que beijavam suas canções.

Até o vento tinha alguém para amar.

Um comentário: