Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

domingo, 8 de agosto de 2010

Sonhos Invisíveis

Surgiu.
Lentamente.
Mistificada.
Atraente.

Sutil.
Passava levemente.
Não guardava nada.
Inconseqüente.

Sorriu,
E o mundo de repente
Deu a volta errada.
Indiferente.

Agiu.
Como serpente.
Preparada
Para o bote eminente.

Seguiu.
Passos pra frente.
Sua alma machucada.
Sua pele ardente.

Subiu
O inexistente,
Em sua escada
Incoerente.

Caiu.
No meio da gente,
No meio da estrada,
No meio da corrente.

Fugiu.
Com medo diferente
De nunca ser notada
Inocente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário