Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Meu Eros e Psique

Por enquanto é isso... Mas pode aumentar.

------------------------//---------------------------

Havia a muito um rapaz
Jovem, porém vivido
Falante e tal qual contido
Muito, muito tempo atrás

Havia também outra metade
Dama, rainha de suas ilusões
Chama, ardia em seus corações
Não pede lugar... Invade.

Eros e sua psique
Entre eles um mundo
Um instante, um segundo
Um abismo... Um porquê

Dizia um Eros alterado
“Queria ser como tu és
E poder enfim mover meus pés
E assim te deixar de lado”

“Queria ainda te querer
Ter um desejo sincero
Ou ter lhe um pouco como quero”
Chorava, sua Psique

Sofria Eros, amargurado
“Veja como lhe amo
Ouça o quanto lhe chamo
Sinta como tenho mudado”

“Será que isso já não basta?
Esse amor descontrolado
Um vício tão desenfreado
Essa paixão tão vasta?”

“Verá-me sofrer sem fazer nada?
Entrego-me e você se esconde
E ainda assim não me responde
Sobre essa dor tão impensada”

Psique se desespera
“Eros... Pense em mim agora
E não vá embora, como outrora
Fostes, deixando-me na primavera”

Mas Eros não pensa só nela
E sim na tristeza que sentia
E no mundo lá fora, suposta alegria
Foi embora, deixando sua bela

Nenhum comentário:

Postar um comentário