Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Apenas

Enfeito as palavras que nunca descreverão essa verdade
És parte do que eu tenho pra viver
Qualquer que seja o tempo ou a cidade
A gente pode apenas se perder

Entregue-se ao sonho insano e inesperado
Ocupe o lugar que só a ti pertencerá
Tudo aqui parece pouco e inacabado
Mas é que espero seu palpite pro lugar

Será que é grande o suficiente o meu amor?
Não mais contenho a carga, me derramo
Há de bastar pra o eterno e encantador
Final feliz com o qual venho sonhando

Mas se não for o bastante para os sonhos de outrora
Me desdobro em outro ser que te convenha
A gente vive a esperar essa tal "hora"
Mas rogo a ti que esqueça tudo e apenas venha

Não há mais enfeite que segure seu olhar
Não há mais palavra que desperte a emoção
Já disse tudo o que podia te falar
Aprisionado no amor que é meu refrão

Foi pra você e por você que me ergui
E agora abro os braços pra lhe dar abrigo
Prometo te dar tudo aquilo que eu consegui
E sempre ir muito além do que consigo

Só vem ser parte da vida além poesia
E colocar o seu sorriso no meu dia
Que é só o que eu quero de manhã pra viver bem
Esquece tudo o que nós temos, apenas vem

Nenhum comentário:

Postar um comentário