Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

domingo, 3 de julho de 2016

3 de Julho

Entre o medo de viver e esperança de acertar
O tempo vai passando apressado a minha frente
Foi-se mais um ano, amigo, agora é diferente
Novas chances pra você, tente não desperdiçar

Daqui um ano você volta aqui nesse rascunho
E avalia com clareza o que mudou na sua vida
Assim como a madrugada que passa despercebida
Vamos ver se dá pra sobreviver ao mês de Junho

Tanta vontade de ser grande te fez ficar pequeno
Se perder em opções de onde por o seu esforço
E descobrir contrariado que já não ficarás mais moço
Parece que é assim que a vida vai acontecendo

Existe tanta gente vivendo as mesmas dores
Padecendo fatalmente de sua própria ignorância
Quanto mais passa o tempo, menor é essa ânsia
De viver a ideologia, de lutar por seus amores

Nenhum comentário:

Postar um comentário