Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Manias

As vezes vai, as vezes volta
As vezes fica e não vai mais
E eu me prendi no meio disso
Já não sei mais voltar atrás

As vezes dói, as vezes arde
Bate no peito medo e amor
As vezes vale pouco ou nada
As vezes eu nem sinto dor

As vezes são eles, as vezes sou eu
As vezes nem faz diferença
As vezes sinto sua falta
Outras rezo pra que desapareça

Mas sempre passa o meu limite
É muito pouco para mim
Sempre tento dar um jeito
Dessa vez pode ter fim

Eu vou atrás todas as vezes
Eu insisto por nós dois
Eu movo o mundo por migalhas
Só pra me machucar depois

Eu insisti diversas vezes
Eu mantive a esperança
Eu lutei por muita coisa
E me lancei na tua dança

Dessa vez eu quero mais
Quero mais que tudo exploda
Eu já cansei de me acabar
E ficar com a tristeza toda

Se for pra ser, que seja errado
Mas que não me mate devagar
Ou você não me maltrata
Ou sou eu quem vou mudar

Eu já carrego muito peso
Não quero acrescentar o seu
Não quero acrescentar o dele
Não vou repetir o que a gente viveu

Se não der pra ser bom
Que não seja insuportável
Se você não me respeita
Seja ao menos agradável

As vezes vai ser ruim, as vezes bem pior
Não sei se creio na melhora
Mas se não valer a pena
Viro as costas, vou embora

Já abri mão de muita coisa
Inclusive de minha vida
Agora não me importa mais
Se termina em despedida

Eu não consigo sentir nada
Entorpecido em agonias
Eu nem sei se isso é amor
Ou outra das minhas manias

Nenhum comentário:

Postar um comentário