Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Réquiem

Eu andei demais por essas ruas procurando algum sentido em cada passo. Sim, essa busca pelo sentido de todas as coisas vivas já consumiu grande parte da minha vida. Não eu ainda não encontrei as respostas.

E eu que julgava saber sobre todas as coisas, todas as cenas
Eu que julgava ser muito mais do que um simples qualquer
Eu que tentava e lutava, cruzei becos, ruas, cidades pequenas
E no final ainda não sei quem está pra o que der e vier
O julgamento se mostrou mais uma vez contrário ao reverso
Pois cada verso que eu fiz pra vocês, nunca foi nada demais
E o que eu quero eu não tenho, penso e desconverso
Evitando tantas outras palavras banais

Eu só desejo a vocês o melhor dessa vida
Que seja longe de mim, que seja longe daqui
E que essa memória da gente não seja esquecida
E que esse desencontro traga o encontro que pedi


Minhas memórias são curtas e frágeis, morrem em silêncio
E eu sei que quando se trata de vocês, meus amigos, será diferente
Meu grito será ouvido e cada verso que canto será o mais intenso
Pois que eu aguente todas as dores, mas que nunca seja indiferente

Nenhum comentário:

Postar um comentário