Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Tabuleiro

_A gente vai se falando, um dia eu vou aí te ver.

Naturalmente eu fui e naturalmente tenho ido.

É engraçado esse jogo de destinatário e remetente, sempre se repetindo de tempos em tempos na nossa vida. Você ainda pensa em me amar, esquecendo que será amada. Isso e tantas outras coisas que eu te disse e nunca fiz, tantas promessas que eu deixei guardadas com as lembranças mais estranhas do tempo que nós gastamos juntos. A gente se gastou juntos, porque nosso tempo tá sempre aí, um dia vem.

Naturalmente eu voltei ao conforto dos seus lábios, talvez porque a vida me apresente muito desgosto, talvez porque eu realmente goste do seu gosto, talvez seja só porque eu tenho saudade de me divertir com suas leviandades. Tolamente eu garanto aos meus dedos que cada toque em ti já não significa nada além de acaso, mas convenhamos seus casos sempre terminam em mim.

Até quando eu te deixei pra trás e quando te deixei de lado, você não me deixou em paz, não é mesmo? Ótimo, me rapte mais uma vez, seja por força ou força de vontade ou só vontade de perder tempo comigo. A gente se encontra, mas eu continuo procurando novidades nessas suas palavras novas, afinal já não tinha nada de mim na sua vida, só tudo o que a gente guarda pra nós mesmos.

Vamos fazer o seguinte? Traçar os caminhos que cruzam os nossos passos. Vai ser divertido, sempre é... Mesmo que a gente ainda teme ao chamar o certo de destino e o laço de acaso. Fatos: somos parte do outro. Fatos: somos entregues. Fatos: somos importantes pro outro. Fatos: ainda corremos disso. Por que que a gente é assim? Sem mais doses, sem mais drogas, sem mais "só por essa noite", mas por favor, vamos ter tudo isso juntos. Meu objetivo é: vários anos com nós dois em vários territórios, que tal?

Vou lançar os dados, só falta você escolher o resultado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário