Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Fim

Perdi mais uma vez as frases certas
E o gosto de qualquer lembrança sua
Apago a companhia de sua silhueta nua
Da minha cama em qualquer das noites eternas

Haverão mil outros nomes que virão pelo acaso
Eu e você não sofreremos o pesar da solidão
Há mais valor no que está morto do que no que padece em vão
E a nós não resta mais o benefício desse caso

Mas é assim que as coisas são planejadas no destino
Começam apenas pra acabar, se o esforço é passageiro
O nosso tempo se atrasou e foi bem melhor assim
Pensando pelo que vivemos o final foi corriqueiro
Continuar essa batalha seria apenas desatino
Quem sabe o que não te mostrei você enxerga nesse fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário