Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Distração

Todo dia às 7 saio pra comprar o pão
Já sem me questionar se isso é verdade ou ilusão
Assisto outro cigarro apagando-se no chão
E a vida segue em frente e toma outra direção

Todo dia às 7 acordo e corro pra estação
Já sem me questionar se é por vontade ou por pressão
Assisto outro cigarro desfazer-se em minha mão
E a vida ocupada esconde-se na multidão

Será que eu me perdi ou me esqueci de procurar?
Encaro o meu retrato em outro tempo, outro lugar
Será que eu te perdi ou não cheguei a te encontrar
Decorei as palavras do que iria perguntar

De volta ao palco armado com minha voz e minha razão
Ensaio cada frase disfarçando a solidão
Os dias se repetem ou fui eu quem não mudei?
Sou tão desatento que nem lembro onde andei

Será que eu me perdi ou me esqueci de procurar?
Encaro o meu retrato em outro tempo, outro lugar
Será que eu te perdi ou não cheguei a te encontrar
Decorei as palavras do que iria perguntar

Eu não sei se é por descuido ou distração
Mas já perdi tanto tempo em solidão
Eu não sei se é por descuido ou distração
Mas já perdi tanto tempo em solidão que hoje eu digo não

E agora acordo às 7 em qualquer outro lugar
Já não paro mais em casa pois você nunca está lá
Já olhei por toda parte, eu só queria te falar
Que o espaço na minha vida é feito pra você ocupar

Nenhum comentário:

Postar um comentário