Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

domingo, 26 de junho de 2011

Epifania

Olha só... Amanheceu de novo e você não está aqui, mas eu estou. O tempo da tristeza não acabou, eu sei, mas dessa vez eu não vou olhar pro teto lembrando o quanto você me faz falta. Não. Já chega dessa tragédia grega que eu criei pra mim. Já chega de me esconder da tempestade embaixo das suas fotos, você não vai me proteger de nada.

Só eu sei o quanto dói e, acredite, dói muito, mas tudo o que eu fiz durante esse tempo foi piorar as coisas. Enquanto eu lamentava pelo tanto que eu tinha perdido, nunca lembrei de agradecer pelo quanto eu ganhei. Enquanto eu chorava pela sua partida, nunca percebi que algumas pessoas se entristeciam pela minha ausência. Hoje eu percebi que não vou ganhar nada se ficar sentado esperando que você se arrependa e volte pra mim correndo. Percebi que a dor não vai passar se eu me conformar com ela.

Talvez eu goste muito de tudo isso. Talvez eu adore sentir toda essa angústia e melancolia, só pra depois poder falar que sofri por sua causa. Não, isso não mostra que eu te amo, só mostra o quanto eu dependo de você. Eu não preciso estar deprimido só pra que a poesia pareça mais sincera.

Tudo o que aconteceu me marcou muito, e isso é pra sempre, mas tudo que vem tem sua razão e agora eu já sei o que vale a pena viver e quando vale a pena parar.

Mas agora chega de lamentações. Eu sei que não posso fazer mais nada em relação a nós, além de me sentir triste pelo fim, mas o mundo é grande e espera pelo meu recomeço... E eu não estou sozinho, em momento algum.

Nenhum comentário:

Postar um comentário