Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

sábado, 16 de novembro de 2013

Memorial In Aqua Scribere

Passados esquecidos, lembranças maltratadas, sentimentos perdidos e paginas viradas
Tempos que não voltam e de poucas alegrias, que abram-se as janelas pra chance desse dia
Eu leio meus lamentos desses anos que passaram e claro que entendo que os últimos melhoraram
Aqui tudo é tão eu e eu escrevo pra assim ser, se o senhor me leu logo é parte desse ser

Nada eu terminei e tudo eu deixo aqui, se em textos me encontrei, sem eles me perdi
Nada eu terminei e talvez nunca termine, não sei se esquecerei, mas tenho o que me ensine
Essa é a minha parte viva que faz parte desse mundo, o resto a vida priva no que há de mais profundo
E eu me misturei em cada um de meus recortes, me recortei e segui atrás de rumos e nortes

E agora tudo isso fica aqui tão esquecido, pois esse autor omisso finalmente tem vivido
Mas nada perde a essência, nem o seu valor. Mudou-se a consciência, mas nunca o amor
As minhas verdades são parte dessas frases... Até sinto saudades de algumas dessas fases
Mas o tempo mudou muito e o autor também, do passado fica o vulto pro futuro ir além

Nenhum comentário:

Postar um comentário