Eterno arquivo do que já não interessa
Vazio Infinito

domingo, 1 de julho de 2012

Nada Além de Nós

Junho foi embora e me deixou pra trás. Me deixou aqui, sentado na varanda, esperando a hora que esse aperto no peito vai passar. Junho foi embora e me deixou sozinho, completamente sozinho. Eu estou sentado na varanda, fumando meus cigarros intermináveis, enquanto você não se importa, isso é o que mais dói.



Julho já chegou. Bateu na porta, mas eu ainda não sei se estou pronto pra deixá-lo entrar, não sei se é tempo de me abrir. Quantas mudanças virão com esse novo mês? Você vai estar aqui? Ou vai continuar tão longe? 



"A minha saudade é uma ponte
Eu a atravesso para que assim veja você e só assim
Me encontro, e não me acostumo e nem me conformo
Não espero de nós nada além de um sim"



Sim, é verdade. Eu continuo atravessando... Pontes cada vez mais largas, pra atingir alguém cada vez mais inatingível. Talvez seja por isso que esses versos lhe agradam, por saber que sempre serei eu quem não espero nada além de um sim, enquanto você pode usar todos os nãos.


Mas não espere que o mesmo homem bata sempre na sua porta. Já não provo meu amor pelo sofrimento e sim por continuar ao seu lado independente de cada uma das suas crueldades comigo. E quando seus olhos se fecharem para mim, meus braços se cruzarão pra você.


Eu vou deixar Julho entrar e se sentir em casa... Aprendi que quanto mais frio o inverno se torna, mais próximo ele está do seu fim... ou do nosso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário