Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Travessia

Eu quero mais, muito mais do que conheço
Até poder guardar a vida em um clichê
Depois de já saber de tudo então, me esqueço
E tenho a vida inteira pra aprender...

Quero sentir, se isso provar que eu estou vivo
E decorar o cheiro que cada vento trouxe
Eu quero muito mais do que prazer apreensivo
Quero a dúvida, o sabor do amargo-doce

Eu quero a vida em cada circunstância
Até afogar em minha própria amargura
Saber de cor a dor pra cada cura
Atravessar, qualquer que seja a distância

Mas nunca quero chegar ao outro lado
Pois da luz que tenho vejo a escuridão surgindo
E sei que a realidade é essa aqui
Pra no final descobrir que estou errado
Quanto mais vivo, mais vejo a morte me sorrindo
Pra relembrar tudo o que eu me esqueci

Nenhum comentário:

Postar um comentário