Histórias passadas de coisas não tão passadas assim

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Réquiem de um Futuro Nosso

Eu resolvi desfazer meus limites
Eu tinha decidido que não poderia mais haver nada de bom na minha vida sem você por perto, mas você também decidiu que não poderia haver nada de bom com você ao meu lado.
Eu tinha me entregado, decidi que sua vontade era a minha vontade, que você era certa e única, mas você decidiu ser a única a insistir no mais errado pra mim.
Tinha permitido tudo a ti, deixei você escolher, e pretendi pra ti um livro aberto, mas você não me permitiu nada, nem saber o que pra você era certo ou errado.
Eu tinha me estragado, escolhi a sua verdade como minha verdade, fiz de minha vida uma crônica, onde a nota tônica, você, também era a nota do fim.

Tudo começava e terminava em você
Pois sem ti nada tinha porque
Nada era verdadeiro
Minha vida parou por tantos anos
E eu refiz todos os meus planos
E você era deles o primeiro

Eu perdi cada momento de paz
Pra sempre correr atrás
De ti na contra mão
E agora eu acordo de novo
Perdido e sem voz, no meio do povo
Sem espada, escudo ou coração

Mas resolvi desfazer meus limites
E embora não mais acredites
Ainda espero um futuro nosso
Mas agora acho que ficou tarde
E prefiro ir embora sem fazer alarde
Pois eu te amo muito mais do que posso

Nenhum comentário:

Postar um comentário